28/04/2014

[MÚSICA] #FAVORITAS

 
    Hello bibouss, tudo okay? Hoje meu post é sobre minhas músicas favoritas, não que isso seja muito importante, mas senti vontade de compartilhar minha playlist. Bom todos os meus amigos e alguns familiares dizem que eu tenho mau gosto musical, mas gosto não se discute. Então estas são minhas 5 músicas favoritas + \o/ 
1 - Monster da banda Paramore

2 - Hurricane da banda 30 seconds to mars

3 - Love on top da Beyoncé

4 - Domino da Jessie J

5 - Automatic da Tokio Hotel

Bom bibouss essas são minhas músicas favoritas vocês podem reparar que são estilos bem diferentes, mas eu tenho um gosto musical eclético, só detesto funk espero que gostem, se sim comentem ou compartilhem o post, falow.
Kissus

25/04/2014

[RESENHA] #ANNA E O BEIJO FRANCÊS

Hello bibouss, tudo okay? Hoje estou postando a resenha de um livro internacional, Anna e o beijo francês, por Stephanie Perkins, chega de falar e vamos começar? \o/

Lido em: Abril de 2014
Título: Anna e o beijo francês
Autor (a): Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
Gênero: Romance norte americano
Ano: 2011
Páginas: 288
Avaliação: ★★

Sinopse: Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto que tem namorada. Ele e Anna a se tornam amigos mais próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer?



     Anna Oliphant é uma jovem de dezessete anos que é obrigada pelo pai (um escritor famoso), a se mudar para Paris, para estudar em um internato. Anna não quer deixar sua vida, seus amigos, sua família e seu quase namorado, Toph. Mas seu pai tem controle sobre a mãe dela que acaba cedendo e desejando que Anna faça uma boa viagem.
“Só estou dizendo que… todos os amigos brigam”.

    Anna chega a um país desconhecido e fica deprimida a principio, mas para sua sorte ela conhece Meredith que de cara a convida para tomar um chocolate quente, e a chama para sentar com ela e seus amigos no café da manhã. Anna se sente aliviada e ao sair do quarto de Mer (Meredith), ela dá de cara com Étienne St. Clair.


    
   Logo os dois começam a serem amigos e Étienne está sempre ao lado dela fazendo-a rir e Anna começa a perceber aos poucos como ele é bonito, meigo e gentil. Mas Étienne tem uma namorada que não está mais estudando com ele. Anna se sente realmente atraída pelo melhor amigo e faz de tudo para mascarar seus sentimentos. Mas ela nem sempre consegue.

“Há poucas coisas piores que alimentar sentimentos por alguém que você não deveria”.
     Conversando com Étienne, ela descobre que Paris é obcecada por cinema, assim como ela, que deseja ser crítica de filmes. Assim ela e Étienne vão ver filmes juntos e sempre acabam sozinhos no cinema vazio. Cada esbarrão que Étienne dá nela a faz tremer e ela não quer sentir nada por ele, ela sempre repete “Ele tem namorada”, mas quem disse que ela consegue se desvencilhar do que sente?
“Por que as pessoas certas nunca ficam juntas? Por que as pessoas têm tanto medo de sair de um relacionamento mesmo sabendo que não é um relacionamento bom?”.
    Para desgosto de Anna ela descobre que Meredith também está apaixonada por Étienne e não gosta nada disso, visto que Mer tem ciúme dela e ela não leva muito a sério. Enquanto isso sua melhor amiga que continuou em Atlanta, entra para a banda do seu quase namorado e as coisas ficam confusas entre elas...

    Os meses vão se passando e Anna e Étienne estão cada vez mais próximos, mas uma notícia acaba abalando a vida de Étienne, deixando-o perturbado sem saber que rumo tomar. Anna tenta de tudo para apoiá-lo mais ele não parecer querer apoio. Depois de muito insistir Anna acaba convencendo Étienne, de que nem tudo está perdido, que ainda há uma chance para que tudo de certo e no final acabe bem.

 Depois de tantas brigas, confusões, intrigas e paixões não correspondidas será que Anna vai ter seu tão sonhado beijo francês?

    Bom leitores o livro em si me desapontou, não gostei muito da estória o livro ficou realmente bom lá pela página 250 sendo que o livro tem 286 páginas. Nada me surpreendeu no livro ele é totalmente previsível, não acho problema um livro ser previsível, mas deve ter um toque pessoal algo de o torne interessante, infelizmente este não foi o caso.

“Por nós dois, a palavra casa não é um lugar. É uma pessoa. E nós, finalmente, estamos em casa”.
    A escrita não me agradou muito, e parecia apenas descrição o tempo todo. Os personagens principais quase não ficaram juntos no quesito de romance, a maior parte do tempo eles conversavam e só. Quando acabei de ler o livro tive aquela sensação clichê, “Está faltando alguma coisa”, tive essa sensação quase que lendo o livro todo.

    Quando comecei a gostar mais um pouco do livro, a estória ficou fraca e não me surpreendeu em nada, não senti a química dos personagens e isso me decepcionou muito. Étienne e Anna quase não tem contato íntimo e quando finalmente tem é uma cena curta e sem muita emoção.

    Não gostei muito da escrita da autora, fiquei enjoada com tantos detalhes que não precisavam ser abordados. A capa do livro é bonitinha, nada de mais. A diagramação é simples e sofisticada, não encontrei erros significativos, apenas um ou outro. 

“Você pode, por favor, dizer que me ama? Eu estou morrendo aqui”.

    A trama é comum e sem muita paixão, senti que fui enganada pelas resenhas que afirmaram que o livro era tudo de bom e no final percebi que não gostei deste livro. Mas essa é apenas minha opinião, não quer dizer que é a correta, espero que leiam o livro e tenham sua verdadeira opinião a cerca dele.
Kissus

23/04/2014

[RESENHA] #ÉPOCA DE MORANGOS

Hello bibouss, tudo okay? Hoje trago a resenha de um livro com parceria com a Editora Gutenberg o livro Época de morangos, por Rafaela Vieira. Bom, vamos começar? \o/


Lido em: Abril de 2014
Título: Época de morangos
Autor (a): Rafaella Vieira
Editora: Gutenberg
Gênero: Literatura infantojuvenil
Ano: 2013
Páginas: 320
Avaliação: ★★★★★+

Sinopse: Um dia, aos 13 anos, Jordana vê de longe um rapaz e tem a certeza que ele é seu Príncipe encantado, um desconhecido que é o mais lindo e perfeito garoto do mundo. Um tempo depois, descobre que ele estuda na sua própria escola, porém é mais novo que ela, e nem sonha com namoradas ou amor. O tempo vai passando, e aos poucos os dois vão descobrindo as dores e as delícias da adolescência e juventude, e entre encontros e desencontros, buscam a felicidade ao lado do verdadeiro amor, que pode nascer à primeira vista, mas durar para sempre.
Jordana é uma menina de treze anos que faz uma viagem para a Disney com os avós e seu primo. Lá ela vê um livro garoto de olhos azuis e fica encantada, fascinada, admirada, impressionada... Por ele. Os olhares se cruzam e Jordana sente vergonha, mas não desvia o olhar. Ela percebe que ele também se interessou por ela e fica em estado de êxtase.  Mas sua avó começar a criar um tumulto em uma lanchonete e Jordana acaba dando um ponto final aquela conexão com o príncipe encantado, que foi como ela o denominou (já que não sabia o nome dele).
“O Angus é muito temperamental, acho que sua mãe botou esse nome nele por causa da angústia que ela sentiu quando ele nasceu”.
Jordana volta pra casa e conta as novidades para sua prima e melhor amiga Jaqueline ou Jaquie que estava colocando em prática a fase de amassos... Jordana volta para as aulas de um jeito mais espontâneo e por consequência faz diversas amizades com alunas mais novas e é muito criticada por isso.        
No intervalo ela tem uma surpresa muito agradável, o príncipe encantado está na mesma escola que ela e não demora muito pros dois engatarem uma amizade. Jordana já sabe o nome do seu príncipe: Edgar. A cada dia Jordana fica mais apaixonada, e mais encantada por ele. A essa altura ela já sabe que ele é um ano e alguns meses mais velho que ela e começa a perceber que ele ainda é muito imaturo, mesmo aparentando ter mais idade.

Os dias começam a passar pesadamente para Jordana, pois Edgar ainda não percebeu os sentimentos dela, e parece que nunca vai perceber. Ela tem medo de tomar uma iniciativa a acabar sendo rejeitada, por isso não o beija como ela tanto quer fazer.

Jaquie dá vários conselhos pra alma gêmea dela (as duas se consideram almas gêmeas uma da outra), mas Jojo nunca consegue por os conselhos em prática, ela sempre fica nervosa quando está com Edgar e acaba fazendo besteira.

Depois de tantas festas e tentativas frustradas, Jordana começa a ter noção de só poderá ficar com seu príncipe quando ele finalmente amadurecer. Mas quem disse que ela não continua fantasiando sobre seu primeiro beijo com ele e sua primeira vez também?

Os dias vão se passando e muitas coisas acontecem nessa jornada de amor em que Jordana vive, os anos passam, as pessoas mudam, os sentimentos também. O que Jordana vive só faz ela amadurecer e a cada ano ela quebra a cara e recomeça tudo de novo tentando buscar sua felicidade, mas porque as coisas nunca dão certo pra ela? Será que ela nunca dá sorte?

“Se existiam outros garotos para amar além de Edgar, onde estavam, que não os havia encontrado ainda?”.
Jordana enfim viverá seu amor de infância? Muitas questões vão ser trazias a tona na sua vida em recife. Várias paixões, conflitos amadurecimento, estórias mau resolvidas. A família tem um grande peso na vida de Jordana, a mãe ausente, um pai que tenta compreender a filha mas que exagera em algumas atitudes, um irmão que não parece ter emoção, um cachorro muito fofo, e uma prima maluquinha e extremante legal, complementam vida de Jordana. Será que depois de tantos anos, tanta dor de cabeça, ressaca e vai e vem da vida ela finalmente encontrará seu grande amor? Então leia Época de morangos e venha descobrir.
“Devia haver um limite de quantos caras eu podia beijar na frente do Edgar. e extrapolei esse número. Fui cruel, pode dizer”.
Como posso expressar o que senti lendo este livro? Sinceramente adoração? Perfeição? Encanto? As páginas pareceram poucas diante da trama que se formou, no universo dos morangos. Eu fiquei lendo este livro sem parar, sem conseguir respirar afoita por descobrir o que estava por vir. Como um romance pode mexer tanto com a minha cabeça?

A estória era encantadora, relata como muitas meninas se sentiam diante do primeiro amor, das dúvidas, dos medos e das constantes incertezas de ter seu amor rejeitado. Eu como uma pessoa mortal já senti as mesmas coisas e tive os mesmos pensamentos que Jordana. O livro me cativou de forma pessoal, pois já me senti exatamente como Jordana se sentia, a cada descoberta uma nova emoção, um novo conflito.
“Anote: garotos não são só bonitinhos, eles podem ser bem idiotas também”.
Identifiquei-me muito com este livro por ser tão pessoal e verdadeiro, consegui imaginar os sentimentos de Jordana dentro de mim, era como se eu estivesse vivenciando seu dilema e suas expectativas, não consegui parar de ler e confesso que li o livro em recorde: 7 horas. Eu sei que é obsessivo ler um livro de mais de trezentas páginas em uma única noite, mas não consegui resistir às páginas que me chamavam e me encantavam com as incertezas, as descobertas que vários personagens vivenciaram. 


Há uma grande passagem de tempo e é possível ver a mudança e o amadurecimento do livro e seus personagens, a escolhas que fizeram e que deram origem a novas situações e a sentimentos desconhecidos que vão sendo evidenciados mediante as descobertas sobre o corpo, a mente, a vida, os sonhos. Uma mistura perfeita da vida de muitas meninas e muitos meninos que se sentem inseguros para tomarem um grande passo na vida e não serem bem sucedidos.

“Quando olho pra você é com se o tempo não passasse”.



     Adorei a capa, muito bem feita, a diagramação é linda. Quando uma música era citada sempre havia notas musicais acompanhadas da letra, dando um toque único e especial a cada folha. A cada novo capítulo um morango ilustrava a passagem entre as páginas deixando-as kawaii e muitos originais. Confesso que chorei quando terminei de ler o livro, foi como se através da Jordana eu realizasse um antigo desejo...

Então eu curto e recomendo este livro super hiper ultra mega power romântico e cuti cuti, um kiss e desejo que assim como Jordana todos nós tenhamos nosso príncipe encantado ou sua princesa de contos de fadas...

                                            
                                           Música favorita:  I'll Fly With You



21/04/2014

[RESENHA] #PAIXÃO SEM LIMITES



Lido em: Abril de 2014
Título: Paixão sem limites livro 1
Autor (a): Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance norte americano
Ano: 2013
Páginas: 192
Avaliação: ★★★★★+

Sinopse: Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.
      Blaire Wynn é uma garota muito linda e determinada, tem dezenove anos e acabou de perder a mãe que estava muito doente. Sem saber que rumo tomar ela decide a contra gosto, procurar o pai que a abandonou quando sua irmã gêmea morreu em um acidente de carro provocado pelo pai acidentalmente. Sem saber o que fazer e sem nenhum dinheiro no bolso, Blaire decide vender tudo para pagar as dívidas do hospital, pagar a hipoteca e tudo que sobrou foi uma arma (que por sinal era sua boa companheira) e uma picape.

“Não foi Rush que me fez querer fugir. Foi ele que me fez querer ficar”.

    Blaire vai com sua picape (velha) procurar o pai em Rosemary, ao chegar à casa em que ele supostamente está ela vê que se trata de uma mansão a beira da praia. Blaire é surpreendida por Grant irmão postiço de Rush Finlay, filho da mulher de seu pai e dono da mansão. Blaire se assusta por ser abordada com surpresa e quase (eu disse quase), atira no rapaz. Ele explica que o pai dela e sua mulher foram viajar para a França. Sem saber o que fazer ela fica arrasada, por não ter onde ficar. Ela percebe que sua vida está entrando pelo cano.

               Blaire entra na casa a pedido de Grant e acaba sendo humilhada por Nannete irmã de Rush, que a detesta desde o primeiro instante que a vê. Logo depois ela é apresentada a Rush, (filho de um astro do rock com a madrasta dela), ele não parece muito satisfeito com a presença de Blaire e não permite que ela fique na casa dele. Blaire vai embora da casa e quando está quase partindo daquele local, Rush muda de ideia e permite que ela fique em um cômodo em baixo da escada. Um lugar minúsculo, que mau abriga a jovem que nele vai habitar.
“Fique longe de mim, Blaire. Você não vai querer chegar muito perto”.
            A garota fica realmente agradecida e aceita a oferta por que não tem dinheiro e muito menos um lugar para ficar, pouco depois ela consegue um emprego em um clube luxuoso que é o palco de homens ricos e lindos. Ela logo se adapta ao ambiente de trabalho, todos parecem gostar muito dela inclusive Woods seu chefe.
“O amor não basta quando a nossa alma está em pedaços”.

               Os dias vão se passando e Blaire e Rush começam a se conhecer melhor e acabam ficando mais íntimos, mesmo assim Blaire tem certeza de que ele a odeia com todas as suas forças, e que só deixa ela permanecer na casa por pura pena.


              Grant convida Blaire para uma festa que vai acontecer na mansão e de imediato ela diz que não vai, mas logo depois muda de opinião e comparece a festa com um vestido comprado pela mãe antes de falecer, ela se sente bonita e vai pra festa de ricos e metidos como ela mesmo denomina os amigos de Rush.

“Você não foi feita para alguém como eu. Eu nunca neguei a mim mesmo nada que quisesse, mas você é doce demais. Desta vez tenho que dizer não a mim mesmo”.

                Mas Rush fica irado ao ver Blaire com aquele vestido e a leva para o cômodo abaixo da escada pedindo explicações pelo traje. A moça explica que foi um presente de sua mãe e ela quis usar por acha-lo bonito. Ela tem certeza de que sua roupa foi alvo de piadas pelas amizades de Rush. Mas ela se enganou completamente.

                 O fato é que ela estava tão linda que deixou Rush louco de ciúmes, este acabou agarrando Blaire e a jogando na cama, e lhe dando um beijo de tirar o fôlego e a razão. Antes que Blaire se desse conta do que acabara de acontecer Rush sai apressado do cubículo temendo pelo que aconteceria se continuasse pelo da garota.

“Se pudesse eu levaria você pra dentro daquela sala, a imprensaria na parede e enterraria bem fundo aí dentro. Mas quando se trata de você não consigo dar uma rapidinha, você é viciante demais”.

Bom bibouss não posso falar mais nada por que se não vou dar spoiler, mas vocês podem imaginar o fogo que há entre esses dois. Um está louco pelo outro e essa paixão vai resultar em cenas picantes e desejos a flor da pele.

              A autora foi muito sagaz escrevendo este livro, por que não tem como não desejar que esse casal não fique junto. Eu particularmente achei que esse foi um dos casais com mais química dos livros de New adult que eu já li. A química entre os dois é incrível e fora do comum. Não tem como não se apaixonar por Rush e aquele par de olhos cinzas e pela linda Blaire.

            O que eu mais gostei foi como ele a chamava de doce Blaire, ele tentava escapar dessa atração mas ficou claro que era impossível resistir a ela. Mas um segredo muito sério pode separá-los, Rush tem um segredo que pode mudar o rumo desta paixão sem limites.
“Doce Blaire”.
             A diagramação é simples e a escrita flui de forma natural, a capa eu nem preciso falar. Achei linda d+ a garota da capa é a Blaire que eu consigo imaginar, ficou perfeita. Não me lembro de erros na ortografia ou na sintaxe. A narrador é autodiegético por ser Blaire (a protagonista) a única que narra durante todo o livro.


            Fiquei em estado de choque quando li o primeiro capítulo do segundo livro da série: Tentação sem limites que foi lançado dois meses depois que eu li o primeiro livro. Assim que saiu no Submarino eu comprei na pré-venda, logo estarei postando a resenha de Tentação sem limites.

-----------------------------------------------------------

                Capa EUA                            Blaire Wynn                               Tentação sem limites


Bom bibouss espero que tenham gostado, se sim por favor compartilhem ou comentem, desde já agradeço por terem lido toda a resenha, um kiss e um bye, bye pra vocês.
Kissus

18/04/2014

[RESENHA] #O MAGO DE CAMELOT



Ficha Técnica
Editora: Novo século
Páginas: 151
Autor: Marcelo Hipólito
Nota: ★★★★★
Sinopse: De uma infância pobre e sofrida à irresistível ascensão aos salões dos grandes reis; de um começo sem esperanças ao despertar de um poder inigualável e temido, Merlin vem a se tornar o homem mais influente da Idade das Trevas. Confidente supremo do rei Artur e maior conselheiro da corte de Camelot. Misterioso e enigmático. Amado e odiado. Druida, monge e mago. Na Britânia do Século V da Era Cristã - abandonada pela queda do Império Romano à barbárie dos invasores saxões, Merlin surge para impor um novo tipo de rei a um povo abatido e desesperado, alterando, para sempre, não apenas o destino dos britânicos, mas de toda a humanidade. A saga de um homem determinado a erigir uma civilização de paz e justiça numa terra devastada pelo caos e pela guerra irrompe em uma aventura épica e brutal que equilibra realismo duro com doses amargas de magia. “O druida, então, abriu um sorriso malévolo aos soldados saxões. Hengist gritava às suas tropas para se manterem firmes, mas sua vanguarda ruía à medida que um resoluto Merlin avançava, a passos largos, na sua direção. A defesa saxônica se fragmentava perante o pavor supersticioso imposto pela figura aterrorizante do druida. Face à derrota iminente, Hengist se desesperou, girando seu machado e galopando para Merlin. O druida estancou diante do ataque rápido e brutal do rei saxão. Sem tempo para conjurar um feitiço protetor, Merlin percebeu, tardiamente, a estupidez de seu erro. Em sua soberba e imaturidade, ambicionara vencer sozinho a batalha. Agora, contudo, sua queda restauraria o ânimo dos saxões, desgraçando o contingente britânico. Merlin experimentou o fragor das narinas do cavalo e o tremor do solo sob seus cascos potentes. O machado de Hengist se projetou para lhe separar a cabeça dos ombros”.

           Há muitos anos uma Maga gigante chamada Nimue atravessou o mar de foi parar em uma ilha somente habitada por homens que acabaram violentando-a e esta não resistiu e morreu. Foi jogada no oceano e apodreceu naquele lugar, o que gerou muitas lendas a respeito de sua morte.

“Merlin experimentou o fragor das narinas do cavalo e o tremor do solo sob seus cascos potentes. O machado de Hengist se projetou para lhe separar a cabeça dos ombros”.
           Depois de vários anos uma dupla de irmãos é pega acusada de roubo e estes ficam presos em um lugar fétido e sem alimentação no calabouço da fortaleza de Ratae. Depois de meses aprisionados, um homem vai buscá-los deste horrendo lugar e Merlin está quase morrendo, mas depois de três dias longe do calabouço este já apresentava sinais de melhora.

“Vivemos sob as intempéries, a mercê dos elementos e da caridade alheia. Percorremos as cidades, os campos e as aldeias... Se deseja governar o seu povo, antes precisa entendê-lo”.
           Blaise o homem que resgatou o par de irmãos, matou Nennius o irmão mais velho para realizar um sacrifício de purificação e assim tornar pura a torre de Vortigern. Mas a princípio Blaise iria matar Merlin, mas uma força invisível desviou sua adaga que acabou enterrada no corpo de Nennius.

             Ao sacrificar Nennius Blaise vê o futuro de Merlin e fica óbvio para o druida de o garoto é especial então ele lhe faz uma oferta que a princípio Merlin não compreende, o primeiro explica que ele o treinará se assim quiser , tornando um druida assim como ele.

“Nennius animou-se com a brisa quente no rosto. Merlin continuava febril, contudo, depois de três dias de viagem, começou a apresentar sinais de recuperação, mostrando-se mais corado e estável”.
            Logo Merlin torna-se aprendiz e começa a aprender rituais, feitiços e ele não tem dificuldade em aprender todas as lições impostas a ele. Os anos se passaram e agora Merlin com vinte e cinco anos desenvolveu afeto pelo homem que ele deseja matar. Mas será que Merlin o matou?...

           Merlin vai tendo mais conhecimento e por consequência seu poder só faz aumentar, ele sorrateiramente vai desenhando o destino de quem ele deseja manipular para por em prática seu plano. Ele deseja que Arthur um bebê que acabara de nascer seja o governante supremo que vai mudar a ordem e trazer a verdadeiro respeito entre seu povo. A mãe de Arthur acaba por morrer durante o parto e Merlin o leva para ser parte de uma família de origem simples.


            A principal razão de Merlin ter levado Arthur para uma família singela é o fato de assim o menino teria conhecimento do mundo como ele realmente é. Deseja que Arthur seja um rei justo e verdadeiro que faça sua parte para mudar a ordem e progredir mais a cada dia.

“A brutalidade do rei causou asco em Merlin, que tirava forças de sua profecia sobre o futuro da Britânia para suportar a arrogância e a malicia de Under”.
          Arthur acaba por se tornar rei e como rei ele tem sua rainha, uma mulher que não é manipulável o que acaba prejudicando e muito os planos de Merlin de lhe dar uma esposa submissa e subjugada. A partir daí os planos de Merlin começam a ficar imprevisíveis e ele tem que mudar algumas táticas para ser bem sucedido em seus planos.

“A saga de um homem determinado a erigir uma civilização de paz e justiça, numa terra devastada pelo caos e pela guerra irrompe em uma aventura épica e brutal que equilibra realismo duro com doses amargas de magia”. (Contra capa do livro)
      Bom bibouss posso afirmar que o livro é muito interessante, a forma como o autor criou um mundo tão cheio de ideais de justiça e ao mesmo tempo desordem, tornou o livro complexo e cheio de significado.


          Gostei muito da escrita do autor, que flui de forma natural, a diagramação é simples, porém sofisticada. Não encontrei erros na escrita e amei a capa. Achei muito bonita e misteriosa ao mesmo tempo.

             Eu super recomendo este livro e espero que gostem tanto quanto eu.
Kissus

14/04/2014

[RESENHA] #EU, MEU PAI E MEUS OUTROS AMORES



Lido em: Abril de 2014
Título: Eu, meu pai e meus outros amores
Autor (a): Lilian Reis
Editora: Novo Século
Gênero: Ficção brasileira
Ano: 2012
Páginas: 320
Avaliação: ★
Sinopse: Há coisas na vida que acontecem e a pessoa se revolta, fica com raiva de tudo e de todos, contudo, Jade teve que aprender da maneira mais dura, que o mundinho no qual ela vivia era fútil, uma imensa bola cheia de nada. Para Jade, tudo que importava era sua mãe, padrasto e amiga. O pai era um sonho inalcançável, uma figura por quem Jade nutria “sentimentos incompreensíveis”. Ela acreditava que aquela vida de badalações, academia de dança, luais, e festas eram tudo de bom, e para o qual valia a pena viver. O resto era descartável. Entretanto, Jade fora inserida “contra sua vontade”, em outro mundo. Um lugar completamente sem valor para ela. As pessoas pouco lhe interessavam e tampouco ela acreditava que eles se interessassem por ela. Para ela, uma garota da cidade grande, o que importava eram as coisas que ela podia fazer e a maneira como se divertia, e amava apenas essas pessoas que eram seu ”tudo”... Uma história cheia de emoções, conflitos, dúvidas e descobertas, que tem um enredo gostoso, uma linguagem jovem e engraçada. Prepare-se para conhecer o outro lado do mundo de Jade. Uma adolescente quase adulta, que se mostrou rebelde e marrenta. Será que Jade aprenderá com seus erros a ser uma pessoa melhor? O livro aborda vários temas importantes, dentre eles a primeira transa, a amizade, e os sentimentos de um modo geral. Contudo, a abordagem principal é o amor de Jade por seu pai. Um homem do interior, que conviveu com sua filha apenas nos primeiros anos de vida, mas que a marcou muito. Para ela, o pai foi seu herói, aquele que a acudia dos pesadelos e dos seus medos. Todavia, a imagem deixada por ele apagou-se pelo fato de ele não ser um pai presente. A vida de Jade deu outra guinada após uma tragédia, que a obrigou a viver outra realidade... 


       Jade é uma garota que sente muita mágoa do pai, que foi embora e se separou de sua mãe quando ela era criança. Um dia Jade, sua mãe e padrasto voltam de uma festa de casamento, e eles sofrem um terrível acidente, que mata a mãe e o padrasto que ela tanto amava.


Queria estar com você cada milésimo de segundo, queria sentir seu perfume e tocar sua pele macia, queria tantas coisas, no entanto consigo apenas alguns minutos e só assim, com você dormindo, embora mesmo sendo apenas assim, tá valendo!

       Jade fica em coma por vinte e oito dias, quando acorda seu pai está lá apoiando-a depois de tudo que aconteceu. Ela não gosta nada da presença dele e fica muito incomodada com sua doçura ao trata-la com carinho. Ela descobre que sua família morreu e fica completamente arrasada sem saber o que fazer.


Meu pesadelo começou quando perdi minha mãe.

        Mas seu pai tem a solução, vai leva-la para Minas Gerais para morar junto dele, da esposa e dos filhos dela na fazenda. Ela não quer ir de forma alguma, mas ainda é menor de idade e não pode ficar sozinha na cidade, sem um adulto responsável.

     Depois de muita conversa Jade não tem escolha e viaja com o pai para Minas e por consequência, passa a viver na fazenda. Chegando lá ela conhece a esposa do pai, que se mostra uma mulher muito gentil e educada. Jade aos poucos vai se instalando na fazenda e faz amizade com o filho mais novo de sua madrasta. Eduardo, mas todos o chamam de Duke ou Du.


 Houve um tempo eu que eu era um homem e ela, uma mulher, mas nosso amor cresceu até não existir mais nem ela nem eu. Lembro-me apenas vagamente que antes éramos dois e que o amor, intrometendo- se, nos tornou um só. (Poema persa)

     Ambos cultivam uma forte amizade pelo outro, mas com Frederico ou Fred, Jade já não tem a mesma afinidade. Fred é um rapaz sério e Jade passa boa parte do livro achando que ele a desteta. Mas na verdade ele é muito tímido e não tem a cara de pau do irmão que já foi fazendo amizade de cara com ela.

 “Um detalhe: não pude ficar com você e é por isso que não somos próximos, mas te amo, filha! Sempre a amei e agora espero que sejamos amigos. Espero que me ame tanto quanto te amo”.

      Jade começa a se adaptar a nova vida e graças a Du ela vai começando a se sentir parte da nova família que ela entrou. Aos poucos tudo começa a se encaixar e seu relacionamento conturbado com o pai só fica melhor depois da metade do livro.

      Bom gente, eu fiquei um pouco decepcionada quando terminei de ler este livro, não que o livro seja horrível, mas acho que coloquei muita expectativa e não consegui gostar tanto quando achei que fosse.

      A protagonista só falava mal do pai, em quase todas as cenas, chegava a ser enjoado, parecia forçado. Ela não conseguiu me cativar como protagonista, a achei um pouco previsível saindo a toda hora e se perdendo como se fosse uma criancinha.

      Faltou desenvolvimento em cenas importantes, algumas cenas ficaram vagas e não conseguiram me comover. Fred que eu amei desde o início tomou uma atitude que me desapontou muito, ele parecia um príncipe, mas pra mim virou sapo.

      Não gostei do final do livro, mas quando terminei de lê-lo, percebi que Duke se transformou no meu personagem predileto da estória, e só vou comprar a continuação pra saber o que acontece com ele.


     Não amei a capa, pois não tem nada a ver com os personagens, Jade é loira e uma adolescente de 17 anos, na capa é uma mulher já adulta e com cabelo cacheado, sendo que o da Jade é liso. O homem também já é adulto não tem nada a ver com um rapaz jovem feito o Fred.

         A diagramação é simples, e não vi erros na escrita. Algumas partes me deixaram confusa, mas consegui ler o livro sem dificuldade. Mas eu recomendo este livro, pra quem quer ler uma trama cheia de perdas, amizades e mudanças para crescer na vida.

13/04/2014

[RESENHA] #A MALDIÇÃO DO TIGRE


Lido em: Abril de 2014
Título: A maldição do Tigre
Autor (a): Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Gênero: Ficção americana
Ano: 2011
Páginas: 344
Avaliação: ★★★+

Sinopse: Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem. 

Kelsey é uma jovem de dezessete anos que perdeu os pais quando era mais nova e passou a morar com dois tutores e seus dois filhos. Ela acabou de concluir o segundo ano e queria trabalhar nas férias de verão. Ela arruma um bico em um circo e precisa ajudar a vender ingressos, alimentar cães e cuidar de um Tigre chamado Dhiren.

Kelsey se sente fascinada pelo tigre branco de olhos azuis penetrantes que furam sua alma, com o passar dos dias Kelsey vai se afeiçoando mais ao tigre e aprecia sua companhia, cita versos, poemas ou faz desenhos do tigre que ela começou a amar.
“Aqueles olhos eram hipnóticos. Eles se fixaram em mim, quase como se o tigre estivesse examinando a minha alma”.         
Mas faltando quase uma semana para o trabalho no circo se findar eis que surge um homem mais velho chamado Sr. Kadam que quer comprar Dhiren e faz um acordo com o dono que o vende de imediato. Kelsey quando descobre a notícia se sente feliz e ao mesmo tempo triste por ter que e afastar do tigre que ela admirava.


Mas Kelsey tem uma surpresa quando Sr. Kadam a convida para acompanhar Ren (apelido que ela deu carinhosamente ao tigre), alegando que ela já tinha maior intimidade com o tigre e assim ele ficaria mais tranquilo.

Kelsey vai para a índia com o Tigre e o Sr. Kadam, uma viagem muito longa e desgastante. Ela dorme quase a viajem toda e quando estava acordada, fazia diversas perguntas ao Sr. Kadam sobre a Índia e sua cultura.

Finalmente Kelsey, Ren e Sr. Kadam chegam a Índia, lá ela descobre que Sr. Kadam não irá até a reserva de tigres. Ela vai sozinha, com Ren e um motorista suspeito. Depois de horas dentro do caminhão (que transportava Ren), ela sente fome e vai até um restaurante comer e descansar um pouco.   
“Ren era como o Super-homem e eu tinha que admitir que não era nenhuma Louis Lane”.
Logo ela termina sua refeição e olha pela janela, ela vê um homem de blusa branca e pés descalços conversando com o motorista e paga a refeição e vai de encontro a eles. Mas quando ela chega percebe que o caminhão, o motorista e o tigre desapareceram. Ela fica desolada, sem saber o que fazer, ao olhar pela rua ela vê Ren parado na rua e fica mais aliviada. Afinal ela já tinha um vínculo com Ren e ele nunca tentou devorá-la.
“O irmão perigoso era Ren. Por mais inocente que o tigre de olhos azuis parecesse, era um predador irresistível. Absolutamente atraente - como uma planta carnívora. Tão atraente, tão tentador, tão mortal! Tudo o que ele fazia era sedutor e possivelmente perigoso para o meu coração”.


Ren parece chamar kelsey e ela o segue até uma floresta. Lá ela se pergunta por que segue o tigre, mas deixa o animal no comando. Depois de horas de caminhada, Kelsey avista uma casa e prende Ren com uma corda em uma árvore (como se uma corda frágil pudesse prender um tigre), e sai andando em direção a casa.
“Se os tigres têm alma, e acredito que tenham, imagino que a dele seja triste e solitária”.
Mas seu coração quase saiu pela boca quando ela escutou: “Isto é realmente necessário?”. Kelsey leva um tremendo susto e se vira atônita. Um homem lindo e maravilhoso de olhos azuis encantadores revela que é Dhiren o tigre e que ela precisa ajuda-lo a quebrar a Maldição do Tigre.
“O que eu sentia por ele parecia complicado demais para definir, mas logo se tornou óbvio para mim que a emoção mais forte que eu sentia, a que estava agitando meu coração, era… amor”.
Bibouss, eu não posso falar mais nada se não vou acabar dando spoiler, eu amei este livro. Eu ri e chorei também. Eu vou ser sincera, o final me deixou triste, eu não queria que acabasse daquela forma, mas eu entendi o por que. No lugar da Kelsey eu me sentiria da mesma forma.

Fiquei muito envolvida pelo enredo do livro, eu nunca tinha lido nada a respeito da cultura da Índia e sobre as mitologias. Fiquei muito impressionada com a criatividade da autora, muitas coisas eram clichês, mas havia muitas coisas que não eram. 

        Eu não citei na resenha, mas Dhiren tem um irmão mais novo que roubou sua noiva há 300 anos, o nome dele é Kisham e ele também havia sofrido a maldição. Porém Kisham diferente do Dhiren é um tigre negro da cor da noite mais sombria. Amei o Kisham ele é muito divertido é um divo mesmo. Imaginei-o parecido com o Sean Faris e adorei.
“Você é minha pérola inestimável”.
A escrita é bem gostosa de ler, não é uma linguagem muito difícil, apenas algumas palavras citadas lá que eram Indianas e eu não entendi (Rs). O que eu mais gostei foi a autora ter feito o livro baseado em tigres (que eu sou apaixonada), como protagonistas.

Meu Deus a capa, é maravilhosa sem brincadeira. O título do livro é em alto relevo, a cor predominante é um azul acetinado e também tem uma leve cintilação quando mexe no livro. Eu simplesmente amei, não tem como não amar o livro mais bonito da minha estante.

Kissus
©
.
.
imagem-logo