30/09/2015

[RESENHA] #A REALIDADE DE MADHU

Hello bibous, tudo okay? No post de hoje teremos uma resenha do livro mais diferente que eu já li na minha vida, com um tema bem forte e cheio de curiosidades. O livro é de parceria com a autora brasileira Melissa Tobias, vamos começar? \o/

Ficha técnica
Título: A realidade de Madhu
Autor (a): Melissa Tobias
Editora: Novo século
Gênero: Literatura nacional
Ano: 2014
Páginas: 280
Avaliação: 

Sinopse: Neste surpreendente romance de ficção científica, Madhu é abduzida por uma nave intergaláctica. A bordo da colossal nave alienígena, fará amizade com uma bizarra híbrida, conhecerá um androide que vai abalar seu coração e aprenderá lições que mudarão sua vida para sempre. Madhu é uma Semente Estelar e terá que semear a Terra para gerar uma Nova Realidade que substituirá a ilusória realidade criada por Lúcifer. Porém, a missão não será fácil, já que Marduk, personificação de Lúcifer na Via Láctea, com a ajuda de seus fiéis sentinelas reptilianos, fará de tudo para não deixar a Nova Realidade florescer. Madhu terá que tomar uma difícil decisão. E aprenderá a usar seu poder sombrio em benefício da Luz.
O livro começa com a terráquea Madhu que novamente é abduzida para a nave alienígena Shandi33 e não se recorda do aconteceu na Terra, antes de parar nesta nave. Ela também não se lembra como foi parar ali e o que aconteceu com seu pai e sua irmã. Madhu logo conhece o doutor Behosa Prakasa, e ele fala que ela está na ala hospitalar de Shandi33 e que ele tem um papel fundamental nos planos de salvação da humanidade e não entende o porquê de ser ela a escolhida.
Logo ela conhece Liv, que vem a se tornar sua melhor amiga, mas se trata de uma amiga um tanto sincera, o que ás vezes irrita Madhu. Liv é híbrida e uma pintora amadora e se inspira em Madhu para criar suas novas telas. Madhu logo fica ciente de que fará parte de um grande plano que a envolve completamente e Nero, um alienígenas a leva para conhecer sua conselheira, que irá lhe esclarecer tudo que ela deseja saber. Sua conselheira se chama Tarala e ela irá revelar todo o plano envolvendo um sacrifício muito nobre de Madhu.

“Se eu lhe disser qual a verdade deve ver, não será a verdade, será apenas o meu ponto de vista. A verdade tem de vir de dentro de você, ou não terá consistência, não será a verdade.”

Assim que Madhu sai do castelo de diamante, lar de Tarala; ela conhece Nikki e se apaixona por ele. Ele diz que a ama e que sempre esteve disposto a tudo por ela e os dois engatam um romance bem inocente. Logo ela descobre que tudo não passou de uma forma de Madhu conseguir diferenciar realidade de fantasia. Na verdade Nikki é um androide que nunca sentiu nada por Madhu ele foi programado para fazer e ser tudo o que ela queria que ele fosse. Isso gera um forte revolta em Madhu que se sente traída e boba por acreditar no amor.
O livro é baseado em ficção científica, logo temos uma explicação sobre o que a Terra é e de como ela surgiu, o que a Fonte e Lúcifer são para o universo e o que eles planejam para salvar o mundo de Lúcifer e da segunda realidade virtual que ele criou.
           Eu percebi que este livro possui uma forte intertextualidade com a bíblia, que a Fonte seria Deus e que Marduk seria Lúcifer. O que ocorre neste livro é que Madhu é a responsável por salvar a humanidade da catástrofe e da miséria. O livro tem um ponto que eu gostaria de destacar que é a utilização de teorias físicas que embasam a estória criada pela autora.
            O livro é narrado em terceira pessoa, as folhas são amareladas, a diagramação é simples. A capa é bem bonita e combina com o tema do livro. A escrita da autora é muito boa e envolvente, ela conseguiu expressar com palavras um universo totalmente novo. Um único ponto negativo foram algumas cenas com falta de desenvolvimento, como quando ela realiza as cerimônias com a Lua e com o Sol e quando ela se funde com a Fonte. Queria que estas cenas fossem mais detalhadas e mostrassem como tudo ocorreu, mas não foi assim. No entanto o final foi muito surpreendente e por isso eu gostei bastante deste livro.
              Bom bibous, essa foi a resenha espero que tenham curtido, fiquem de olho nas redes sociais e deixem nos comentários se já leram ou querem ler esse livro.
Kissus

27/09/2015

[RESENHA] #ECLIPSE DA LUA AZUL


Hello bibous, tudo okay? Hoje aqui no blog uma resenha bem legal de um livro que eu recebi de cortesia com duas autoras brasileiras, Débora Knittel e Érica Falcão criadoras do livro Eclipse da Lua azul um livro muito lindo e de leitura agradável, vamos começar?

Ficha técnica
Título: Eclipse da Lua azul
Autor (a): Débora Kinittel e Érica Falcão
Editora: Solisluna
Gênero: Literatura infantojuvenil
Ano: 2014
Páginas: 220
Avaliação: 
Sinopse: Três mundos... Duas amigas... Uma jornada. Após a morte de sua esposa, o arqueólogo John Crane, especialista em história das antigas civilizações, decide mudar-se com sua filha Holly para o Rio de Janeiro, perto dos amigos Dr. Ramos, Dra. Rita e sua filha Maiara. Holly, embora acolhida pela família de Maiara, vive um sentimento de tristeza e saudade de seu pai, sempre em expedições pelo mundo. Antes de completar dezoito anos, Holly recebe um artefato e tentará desvendar os mistérios sobre o desaparecimento de seu pai, as visões de Maiara e o crescente desequilíbrio da natureza. Nesta Aventura, as amigas, Holly e Maiara conhecem Celino e Kami, seres de outros mundos, iniciando uma jornada na qual os sentimentos e os dons serão despertados e os valores fundamentais da humanidade, colocados à prova. O final desta jornada é imprevisível. Escolhas determinarão o destino do planeta, para que não fique sob o domínio dos seres das trevas. A Terra poderá ter mais uma chance?
             O livro começa com John pai de Holly que leva a filha para passar um tempo na casa de alguns amigos muito íntimos dele e de sua falecida esposa Bethânia. John é arqueólogo e precisa ir para a Amazônia sem a filha que se sente abandonada pelo pai em um lugar estranho e com pessoas que ela não conhecia até então.
            Ao chegar ao Rio de janeiro, em São Gonçalo Holly conhece os pais de Maiara e logo inicia uma forte amizade com a menina. Dez anos se passam e Holly sempre sentiu a ausência do pai, depois de várias promessas fracassadas dos dois engatarem uma viagem, John e Holly irão viajar juntos e matar a saudade.

"(...) tempos difíceis que os humanos viviam, assolados por catástrofes naturais que refletiam o desgaste da natureza. Apesar disso, tinha fé na humanidade e nutria a esperança de que um dia o equilíbrio seria restabelecido no planeta."

            Holly vai se encontrar com o pai e fica sabendo que não terá nenhuma viagem e que ele irá sozinho para a África em busca de um novo artefato. Holly insiste em ir também, mas ele afirma ter medo de perdê-la assim como ele perdeu Bethânia que ficou doente em contato com o continente Africano.
            Holly se mostra uma moça bem egoísta e cheia de vontades, o contrário de Maiara que é calma e gentil. As duas tem uma relação de cumplicidade, quase como irmãs e Maiara tem sonhos em que uma figura de índia a alerta sobre as catástrofes que acabam por ocorrer posteriormente.
               Em uma dia de bad elas decidem ficar em casa vendo filmes e séries e ao tomarem um suco deixado pelos tios, Fascínio coloca alguma substância que as fazem ficar fora do habitual. A partir daí tudo começa a mudar e elas conhecem novos amigos Kami, Atiara, Celino, que vão ser de suma importância para defender o mundo de planos do mau ocasionados por Fascínio um elfo que pretende se casar com a princesa Atiara que na verdade só tem olhos apara Kami. Lavínia é a irmã anjo de Celino que o trai e se junta a Fascínio para destruir os quatro amigos que estão dispostos a sacrificar suas vidas para reunir os guardiões dos quatro elementos: água, terra, fogo e ar, salvando assim o mundo dos planos do mau.
            Bom, bibouss, eu gostei do livro de uma forma geral. Esperava que o final tivesse cenas mais detalhadas da luta e do romance entre Holly e Celino, achei que ficou um pouco sem explicação. Senti que o amor entre eles surgiu de forma vaga, como se de uma hora para a outra os dois se amassem loucamente.
            A escrita das autoras está com uma ótima qualidade, gostei de como elas criaram a narrativa de forma clara e sem rodeios. As folhas são amareladas, a diagramação é simples, o narrador é heterodiegético, não faz parte da estória. A capa é linda, combina com o enredo e é incrível.
            Um ponto que quero ressaltar é de como as autoras foram cuidadosas ao me enviar o livro. Ele veio em um saquinho transparente com uma cartinha explicando tudo. Amei o capricho e o carinho que eles tiveram estão de parabéns!
             Essa foi a resenha, espero que tenham curtido e deixem nos comentários o que acharam sobre ela. Fiquem de olho nas redes sociais.
Kissus

24/09/2015

[RESENHA] #ESTAÇÃO JUGULAR


Hello bibous, tudo okay? Hoje aqui no blog uma resenha de um livro nacional em parceria com o autor Allan Pitz, pelo livro Estação jugular, um livro bem diferente do que estou acostumada, vamos começar? \o/

Ficha técnica
Título: Estação jugular
Autor (a): Allan Pitz
Editora: Dracaena
Gênero: Espiritualidade/ distopia
Ano: 2012
Páginas: 127
Avaliação: 

Sinopse: E se você acordasse pela manhã em um lugar absurdamente estranho, isolado de tudo, fugindo sabe lá de onde e de quem, e a certeza maior no momento é que deve seguir em frente para não ser torrado vivo? Então você entra no único ônibus de uma linha desconhecida, abandonado na velha Estação Jugular, e na estrada sinistra pincelada por descobertas, medos e anseios humanos se desenrola a maior aventura de todas. Assim ocorre ao romance filosófico Estação Jugular, de Allan Pitz, no qual um viajante perdido e desmemoriado entra em um ônibus vazio fugindo do sol inclemente que abandonou o céu e, como um foco teatral em movimento, tenta queimá-lo. A partir daí, Franz, o passageiro, segue confuso ao lado do Motorista para encarar a psicodélica jornada final de sua existência.
             A trama começa com um homem que está fugindo, mais não sabe exatamente do que. Ele pega um ônibus,e fica sozinho com o motorista,  logo pergunta ao mesmo qual é o destino final. O motorista é vago em sua resposta o que deixa Franz chateado e brigando com o motorista por nada de mais aparentemente.
            Franz está se sentindo desesperado e pede que o motorista saia logo da rodoviária e o caminho percorrido é sempre em linha reta e com paisagens incomuns e longas, que geram grande desconforto na mente do rapaz que começa a se sentir angustiado pelo fato de não conseguir entender em que aquilo tudo vai levar.
“Uma estrada infinita para a loucura e as cores vivas de Van Gogh, escolhido desde o início por esconder na loucura toda a beleza de suas obras, de seus sentimentos, seus sentidos, sua genialidade.”   
            Aos poucos Franz e o motorista vão travando diálogos e Pedro, o motorista lhe dá um remédio para que ele consiga descansar um pouco. O cenário vai se modificando e em vários aspectos temos como tema central a divindade e a morte. Franz é um homem que trabalha com computadores e vê tudo de forma mecânica, mas ele aprende que nem tudo que parece é o que realmente é. 
            Seus sentimentos vão sendo modificados e a raiva que ele sente do motorista, logo dá lugar a uma amizade e eles passam por diversas situações em que Franz chega a questionar se Pedro é um alienígena, quando na verdade ele já não está neste mundo e aos poucos vai percebendo que tudo é uma viagem destinada ao paraíso.
            Os capítulos são pequenos e fáceis de entender, o autor possui uma escrita fluida e sempre cheia de questionamentos. O livro é narrado por Franz, as páginas são amareladas, a capa é condizente com o enredo do livro. Um ponto que me agradou bastante foram frases de diversos autores no decorrer do livro, com Van Gogh, Albert Einstein, Edgar Alan Poe, Benjamin Franklin, entre outros. A diagramação é simples e o que me impressionou mais foi como Deus foi retratado nesta narrativa.
               Bom bibous, essa foi a resenha espero que tenham curtido, fiquem de olho nas redes sociais e deixem nos comentários se já leram ou querem ler esse livro intenso.
Kissus

21/09/2015

[MÚSICA] #TOP 3 DO MOMENTO

Hello bibouss, tudo okay? No post de hoje vou litar um top 3 das minhas músicas favoritas do momento, espero que se identifiquem e deixem sugestões de outras músicas nos comentários, vamos começar?\o/
Style | Taylor Swift
Eu me apaixonei por essa música e agora ela não sai da minha cabeça, ela é perfeita, linda, comovente, sensual e tudo de bom.
All of me | John Legend versão Glee

Essa música é o toque do meu celular de tanto que eu gosta desta versão do Glee. Fico admirada com a melodia e a voz e me comovo toda vez que escuto.
Crazy in Love remix 2015 | Beyonce
Essa música mexe com minha cabeça e me deixa muito impressionada como essa música ficou muito melhor nesta nova versão com um toque de mistério e sedução, adorei.
Kissus

18/09/2015

[ADQUIRIDOS] #MAQUIAGENS

Hello bibouss, tudo okay? Hoje aqui no blog um post de alguns produtinhos que eu comprei, não foi nada de mais, só que decidi mostrar para vocês, espero que gostem e comentem este post, e em breve vou trazer resenha da base e do pincel kabuki da Vult cosmética, vamos começar? \o/
Pincéis de topo reto e pincel para corretivo
Bom, eu comprei o nº 12 da Vult na Alpino, casa do cabeleireiro e foi em torno de uns R$ 47,00. Eu achei o preço um pouco salgado, mas se trata de um pincel que eu sei que terei muito zelo e cuidado portanto irá durar muito.
O outro de topo reto que eu comprei foi da Macrilan que na verdade eu comprei mais com o intuito de testar e ver se há realmente uma diferença gritante de qualidade, assim que eu testar eu faço resenha em post. Esse pincel foi R$ 19,00 e eu comprei na Mega mais (antiga Grippon) em Nova Iguaçu.
O pincel de corretivo eu já tenho um igual, esse eu só comprei pra aplicar sombra o que eu mais gosto de fazer com ele na realidade. Custou uns R$ 8,00 se não me engano, também comprei-o na Mega Mais.
Corretivo 01 da Vult cosmética
Comprei esse corretivo em bala da Vult na Alpino a minha cor é a 01 e estou testando, depois conto para vocês. Custou em torno de R$ 12,00.
Batom vermelho super lustrous lipstick creme 740 certainly red
Esse batom eu ganhei da minha mãe foi em torno de uns R$ 70,00 reais ele é da Revlon e é muito lindo, pena que não é matte.
Batom boca I matte da Tracta
Esse batom é um achado, depois de procurar batons nude que eu gostasse em fim encontrei este que fica muito lindo nos lábios, custou R$ 24,90 também na Alpino.
Base líquida efeito matte da Vult
 Essa base líquida da Vult é muito bem falada na blogosfera e no Youtube por isso eu comprei para testar e porque minha pele é oleosa e cheia de cravos. Estou usando-a de dia e ela custou R$ 27,80 na Alpino.
Bom bibouss essas foram as comprinhas de make, nada de mais. Espero que tenham curtido e deixem nos comentários o que acharam dos produtinhos.
Kissus 

08/09/2015

[RESENHA] #DA BOCA PRA DENTRO

Hello bibous, tudo okay? Hoje aqui no blog uma resenha muito legal de um livro de crônicas, em parceria com a autora brasileira Yohana Sanfer, pelo livro Da boca pra dentro. Um livro repleto de reflexões e muito divertido por sinal, vamos começar? \o/

Ficha técnica
Título: Da boca pra dentro
Autor (a): Yohana Sanfer
Editora: Vermelho Marinho
Gênero: Literatura nacional/ Crônica/ Prosa
Ano: 2013
Páginas: 157
Avaliação: 

Sinopse: Da boca pra dentro - "Mas quantas e quais são as coisas que dizemos depois de consultar o coração? Um punhado de essência, um milhão de desejos, um infinito de verdades? Pra onde vai e de onde vem tudo aquilo que nos importa, esse tudo que é grande e traduzido pelas palavras que não cabendo no peito, transbordam corpo, alma e nossas certezas? Minha suspeita: da boca pra dentro. São da boca pra dentro todos os beijos que respondem um anúncio de dúvida, toda saudade confessada durante o abraço, o elogio inevitável, o desabafo acolhido por um olhar, a palavra engasgada e denunciada pelas lágrimas, o grito que transgride a calmaria.(...) Moram da boca pra dentro nossos silêncios falhos, nossas falas eternizadas na lembrança de alguém, o sentimento entregue num agradecimento, numa saudação sincera, numa notícia boa, numa declaração de amor."(Trecho da crônica "Da boca pra dentro").Um livro que reverencia o amor, os sonhos, os quereres e traz outros olhares sobre o cotidiano.
            O livro se trata de diversas crônicas que abordam diversos assuntos como a amizade, o amor, a paixão, o amor maternal e paternal, como se enxerga a vida e por aí vai. O livro é muito dinâmico, fala sobre o cotidiano e sobre o que se passa na cabeça da autora, durante a leitura pude perceber nuances da vida dela, a autora se utilizou de cenas do dia a dia para criar suas linhas e conquistar meu afeto.
            No decorrer dos capítulos conhecemos diversas façanhas da autora no amor, na vida, com o irmão mais novo, é muito divertido quando ela fala sobre como o amor é visto por homens e mulheres, que não devemos viver sem nos arriscar, sem levantar hipóteses e ter opinião própria.
          Em um capítulo em especial ela conta como é impulsiva e que não consegue se conter diante de um fato que não a agrada e eu fiquei imaginando como seriam suas reações dentro do contexto em que eu vivo. De como ela é firme em suas decisões e que não se arrepende do que faz, na verdade tem orgulho de viver da sua própria forma, sem padrões, sem limites.
         Em vários capítulos me senti como se tivesse sido escrito pra mim ou por mim, me identifiquei com as palavras e com as frases de destaque que tinham em determinadas páginas do livro.

“Adoro quando quase me convence de que está bravo quando mordo seu braço...”.

            Separei esse quote em especial, mas unicamente esta parte, pois descreve com exatidão o que vivo com meu amor, eu mordo ele e ele sempre finge estar zangado quando na verdade está louco de vontade de rir e talvez me morder também!

"Não gosto quando arruma minha bagunça. Viro fera quando veste a implicância e dá de mexer no meu umbigo, nas minhas unhas e sobrancelhas. E quando abre as janelas reverenciando a luz quando meu corpo ainda pede mais preguiça e o aconchego que o escuro do quarto traz".
            Esse outro quote também me fez sentir que eu escrevi, o meu amor sempre faz isso e eu fico louca de raiva, mas ao mesmo tempo eu amo quando ele implica comigo e sempre me faz rir. A autora escreve muito suavemente, tanto que li o livro e nem vi as páginas passarem, eram como se flutuassem na minha mente e me despertasse a sonhar.
         O livro é narrado em terceira pessoa, as páginas são amareladas, a diagramação é simples e divertida. A capa é show de bola, adorei.
            Bom bibous, essa foi a resenha espero que tenham curtido, fiquem de olho nas redes sociais e deixem nos comentários se já leram ou querem ler esse livro repleto de crônicas.
Kissus

05/09/2015

[RESENHA] #FORTUNA, A SAGA DA RIQUEZA

Hello bibouss, tudo okay? Hoje aqui no blog uma resenha de um livro nacional, resultante de uma parceria com a autora Cássia Cassitas pelo livro Fortuna, a saga da riqueza, vamos começar? \o/

Ficha técnica
Título: Fortuna, a saga da riqueza
Autor (a): Cassia Cassitas
Editora: Clube dos autores
Gênero: Literatura nacional
Ano: 2012
Páginas: 262
Avaliação: 
Sinopse: Fortuna a Saga da Riqueza narra a história de Ricardo e Carolina em meio à crise econômica mundial de 2008. Falando sobre a busca da prosperidade, o livro é repleto de fatos históricos e de muita ação. O romance aborda a saga de uma família que conheceu as evoluções socioeconômicas do século XX abalado pelas guerras mundiais, embalado pelo capitalismo e consolidado pela sociedade de consumo. Os personagens têm identidades e trajetórias muito claras e definidas, personificando as diretrizes econômicas e sociais que nortearam os acontecimentos das últimas décadas.Ao longo de suas trajetórias, o leitor tem a oportunidade de conhecer um pouco da educação, do estilo de vida, do pensamento político e das ideias que norteiam o pensamento popular do Brasil. Quando a bolha imobiliária estoura, Ricardo luta para impedir o contágio no Brasil. Lucratividade, ética e responsabilidade social são algumas das questões que vêem à tona. Todos se confrontam com a nova realidade e a formação sociocultural de cada personagem determina as reações. Fortuna a Saga da Riqueza é um livro vivo, a historia não acabou. Ela continua nos países que lutam contra a instabilidade e o desemprego.
No livro conhecemos Ricardo, Carolina e Ana protagonistas da estória. Ricardo e Carolina são casados e ela está grávida de oito meses. Ricardo é economista e está passando por uma crise econômica e suas ideias são consideradas loucuras, que o faz ser demitido do emprego.
A obra se passa no ano de 2008, alternando passado com o presente. A vida de Ana no século XX, e o casal Ricardo e Carolina, no século XXI. Os três possuem uma forte ligação de parentesco que descobri ao ler as páginas do livro. Ricardo tem uma visão diferenciada e tenta em vão incentivar esses novos ideais na empresa que trabalha, mas não é bem aceito.

Dentro dessa trama também conhecemos o contexto de vida de Ana uma descendente de italianos que se apaixona por Paulo, mas acaba se casando com seu irmão mais velho, Joaquim, que não possui nenhuma expectativa de vida.
            Ela se muda para São Paulo e lá cria o filho de seu eterno amor que morre e logo em seguida sua esposa morre no parto deixando a criança órfã. Ela nutre um forte amor pelo menino chamado José e o cria como uma mãe.

“Construíram um patrimônio por terem descoberto, apesar da ignorância universitária, que a grande virada se dá quando se consegue retirar da engrenagem que tenta nos arrastar algo extra que vai se acumulando – seja uma poupança, um conhecimento, uma visão, um tempo de folga para sonhar e alicerça-los. Quando não há uma meta, um objetivo de longo prazo não acompanha a luta pela sobrevivência, a consciência do ser humano tende a anestesiar suas emoções e reações. Mas quando não há um sonho, um dia, esse algo acumulado se transforma na chave que leva o ser humano a trilhar outro caminho.”

Em São Paulo ela se torna uma figura importante na melhora do patamar de vida de sua nova família que aos poucos com esforço e trabalho conseguem ter imóveis e ganharem mais dinheiro e conforto. Ana é a responsável pelo crescimento financeiro da família Vaccaro que ao longo das gerações vão tendo oportunidades que seus antepassados não tiveram.

"Carolina via o mundo de Ricardo ruir e não conseguia alcançá-lo, impedi-lo de arrastar nessa derrocada o mundo de amor que os unia".

Carolina convence Ricardo a tirarem uns dias de férias e eles passam uns dias em Fernando de Noronha, lá Ricardo sofre uma espécie de choque e tenta viver sem nada e sem conforto algum, deixando a esposa assustada com seu novo comportamento, o que será que Ricardo planeja fazer com a vida que tanto lhe custou a ter?
Bom bibouss, o livro é bem interessante fala sobre o contexto histórico dos italianos e das crises econômicas que assolaram o Brasil e modificaram a vida dos habitantes do país. O livro é narrado em terceira pessoa, intercalando capítulos do século XXI e XX. As folhas são amarelas, a diagramação é simples e em cada passagem de capítulo é acompanhada de uma frase de efeito. A capa é interessante e tem forte relação com o livro, o livro não possui orelha o que deixa a folha em pé o tempo todo e o livro foi lançado de forma independente.
          Essa foi a resenha, espero que tenham curtido e deixem nos comentários o que acharam sobre ela. Fiquem de olho nas redes sociais.
Kissus

02/09/2015

[RESENHA] #SOHUEM

Hello bibouss, tudo okay? No post de hoje mais uma resenha de um livro que pertence a uma trilogia, da autora parceira aqui do blog, Laura Elizia Haubert, pelo livro Sohuem segundo volume da trilogia da meia noite, se quiser conferir a resenha do primeiro livro é só clicar [aqui], vamos começar? \o/

Ficha técnica
Título: Sohuem - Trilogia da meia-noite II
Autor (a): L. E. Haubert
Editora: Novo Século
Gênero: Literatura brasileira/ ficção
Ano: 2012
Páginas: 248
Avaliação: 

Sinopse: Desta vez os heróis não estão sozinhos. Os deuses despertaram ávidos para intervir na rebelião de seu mundo. Os cristais, frágeis, e a loucura começam a bailar pelo ar, os embates se elevam. Volker está fortalecido. Um inimigo, mais antigo que os carvalhos de Fairland, acorda pronto para desintregar a ordem. Perseverar é essencial, porém, respirar dói, e eles sabem disso. São testados, torturados e enfeitiçados o tempo todo. Como lutar contra o que não se consegue ver? Com os nervos à flor da pele, o intimo transparecerá, novas companhias surgirão ao passo que outras padecerão. Venha desvendar os lugares por onde Kalí, Draco e Lucas andam. Conheça os novos portadores e descubra as chaves para a redenção. Cuidado, nada é o que parece ser, principalmente nos tempos soturnos de Arrarock.
             No segundo volume da trilogia da meia noite o livro começa com uma escrita totalmente diferente do livro anterior, se trata de uma linguagem mais rebuscada e com mais ênfase ao cenário que vai sendo explorado com o passar das páginas. Nos capítulos iniciais de Sohuem ficamos cientes da entrada de novos personagens como Corvina, uma mulher que possui umas das insígnias e a sua é do fogo e também conhecemos Gared que se trata de um Cissacles, confesso que não compreendi exatamente do que se trata essa denominação ligada aos deuses.
"Lutas. Sangue. Dor. Traição. Segredos. Pesadelos. Desafios. Almas. Insígnia. Cristal. Insígnia. Conversas. O que sucedera?"
            Sohuem se trata de um livro mais desenvolvido que o anterior, nesta obra conhecemos mias profundamente o vilão Volker e suas necessidades de gerar o caos. Além de novos personagens que também vão ser os donos de novas insígnias não mencionadas antes. Os cristais são de suma importância e há um enfoque grande sobre o que eles podem fazer.
            Agora além de Volker mais um inimigo é mencionado o outro vilão se chama Rhaegar e ele é o portador da insígnia do espírito e ela tem grandes poderes como poder convocar os mortos.
            O grupo de jovens Lucas, Draco e Kalí terão que se unir e lutar contra o tempo para salvar os mundos e os deuses também terão participação nesta batalha pois não querem que o mundo fique destruído e seja comandado pelo mau.
'' Dizem que os elfos só podem sonhar uma vez na vida.''
            Bom bibouss, a escrita da autora de um salto e ficou muito mais rica e difícil, me senti lendo um clássico e fiquei um pouco confusa ás vezes, mais consegui ler o livro e até a gostar do que acontece. Fiquei ávida por um romance e uma nuance foi apontada nas páginas.
            A capa é linda, a diagramação é simples, as folhas são amarelas e vi alguns erros de escrita, nada de mais, muito menos que o livro anterior. Estou curiosa com a continuação e espero poder lê-la também, seu nome é Magi.
             Bom bibouss, esta foi a resenha espero que tenham curtido e fiquem de olho nas redes sociais e deixem nos comentários o que acharam desta obra.
Kissus
©
.
.
imagem-logo